E quanto custa investir no Carteira Universa?

A partir de 10 mil reais, você consegue acessar a Carteira Universa.

Isso já é uma vantagem. A carteira teórica na qual ela foi baseada antes necessitava de 100 mil reais. Agora, com um décimo dessa quantia é possível investir em todos os ativos de uma só vez. Esse é mais um passo rumo à verdadeira democratização dos investimentos no Brasil, da possibilidade de levar ao investidor de varejo o que há de melhor neste mundo, sem distinção alguma frente aos melhores profissionais ou aos multimilionários.

Para que isso fosse viabilizado da melhor forma possível, fizemos questão de fazer o fundo mais barato do que a média da indústria — normalmente, os fundos multimercados brasileiros cobram 2% de taxa de administração e 20% de performance.

 

A Carteira Universa tem 1,5% ao ano de Taxa de Administração e 20% de taxa de performance sobre que exceder o CDI. Ou seja, a taxa de administração é 0,5 ponto percentual inferior ao que normalmente se vê por aí.

 

Para o caso da Carteira Universa, isso quer dizer que a cada 1.000 reais investidos, 15 reais são pagos nessa taxa de administração ao ano. Ela remunera a gestora e o Santander (administrador).

 

A taxa de performance, por sua vez, cobra 20% sobre o que exceder um determinado benchmark; no caso, o CDI.

 

Um exemplo ilustrativo para facilitar a compreensão: se o CDI no ano for 10% e a Carteira render 15%, isso significa que a taxa de performance incidirá sobre esses 5 pontos percentuais de excesso de retorno. Ou seja, será equivalente a 1% do todo (0,2x5).

Um abraço,

Jojo

 

 

img-jojo

 

 

A distribuição entre os fundos de investimento pode ser alterada a exclusivo critério da Vitreo, tanto no que se refere aos percentuais, quanto à inclusão ou exclusão de novos fundos de investimento na carteira. Os investimentos em fundos estão sujeitos a riscos específicos de mercado. Alguns fundos, estão autorizados a realizar aplicações em ativos financeiros no exterior. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, do custodiante, de qualquer mecanismo de seguro ou do fundo garantidor de créditos – FGC. As informações constantes nessa plataforma estão em consonância com os regulamentos dos fundos de investimento, mas não os substituem. Leia o regulamento, o formulário de informações complementares e a lâmina de informações essenciais dos fundos antes de investir. O regulamento, o formulário de informações complementares e as lâminas de informações essenciais, quando obrigatórios, estão disponíveis nesta plataforma. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Para avaliação da performance de um fundo de investimento, é recomendável a análise individualizada de, no mínimo, 12 (doze) meses. A descrição do tipo ANBIMA está disponível no formulário de informações complementares de cada fundo. As comparações entre rentabilidade e indicadores econômicos, quando disponíveis nesta plataforma, são para de mera referência econômica e não necessariamente meta ou parâmetro de performance dos fundos. Os fundos possuem datas próprias e diferentes entre si de conversão de cotas, de pedido de resgate, e de pagamentos de resgate, conforme seus respectivos regulamentos.